só um sorriso.

29 de julho de 2010

Você apareceu na minha frente
Como um fantasma no porão
Ali parada, só sorridente
Destroçando o meu coração

Anúncios

Carreira-solo

27 de julho de 2010

Deitado no chão do meu quarto pensei que tenho que trocar minha cadeira do computador. Minhas costas doem. Ser goleiro nas segunda-feiras tem me matado. Já não penso mais nela. Nem em seu sorriso metálico, nem seus olhos brilhantes.

Só uma dor. Talvez seja uma resposta do meu corpo pras minhas noites em claro, rodando por aí. Procurando prazeres fáceis e baratos.
MAs tudo tem seu custo. O tempo cobra suas dívidas.

Voltei a desenhar. Antes já tinha voltado a escrever textos. Até poemas pra amores secretos. Acho que o próximo passo é voltar a tocar guitarra. Re-descobrindo prazeres mortos. Solitários.

Como uma carreira-solo meio que obrigado. Não tem aquela cara de fuga como um projeto paralelo. Como eu já tinha dito em algum lugar por aí, jogos eletrônicos serão meus melhores amigos nesses dias frios em São Paulo.

Aí talvez pensarei no seu sorriso metálico e seus olhos brilhantes. Sem dor nas costas. Ou futebol nas segunda-feiras.

Hoje Não É Natal

27 de fevereiro de 2010

Hoje Não é Natal (George Raposo)

Hoje não é sexta-feira
Como se fizesse alguma diferença
Pra você
Porque viver parece tão fácil
Quando olho o seu sorriso

Hoje não é Natal
Como se fosse algo tão estranho
Pra mim
Porque os dias são iguais
Quando estou sozinho

E se eu fosse correr atrás do arco-íris
Onde eu poderia chegar?
Dentre as poças que pulamos
Qual a que mais vai te molhar?

Hoje não é nosso dia de sorte
Hoje não é nosso dia de sorte

Hoje não é seu aniversario
Mas todo dia é seu
Pra você
Porque sonhar parece tão normal
Quando olho seu sorriso

Hoje não é Natal
Como se vocês estivesse olhando
Pra mim
Porque as noites são banais
Quando estou sozinho

E se eu nunca mais fosse dormir
Como eu iria sonhar?
E se lá fico perto de você
Nunca mais te abraçar?

%d blogueiros gostam disto: