Divagações de uma vida devagar

13 de julho de 2010

Ele acorda, já não precisa ir pro escritório, não precisa escovar os dentes, nem tomar um banho. Olha pro espelho como se fingisse se importar com a imagem ali refletida, nem chega a notar que precisa fazer a barba. As pontas de cigarro espalhadas pelo chão já não incomodam mais. Procura um pedaço de pizza na noite anterior e pronto, está feito o café da manhã.

Dá aquela tradicional olhada no porta-retrato de cabeceira. Uma linda mulher sorrindo que ele nem lembra mais como é isso. Sorriso? Felicidade? Amor?

Apenas se diverte passeando por sua solitária. Sabe de cor quantos passos precisa dar até a geladeira, quantos azulejos do banheiro pra cama. Seus pensamentos voam longe, acende outro cigarro e pega uma caneta. Escreve algumas palavras a esmo e então amassa e lixo. Já são quatro horas da tarde, mais de 30 bolinhas de papel no chão, seu corpo esquálido anseia por algum líquido. Uma cerveja aberta há dias é tudo que está ao alcance.

O telefone toca sem parar. Mas ele não esboça reação alguma, seu pensamento nublado só procura uma maneira de acabar com todo aquele sofrimento. Não tem forças nem pra chorar, as lágrimas evaporam antes mesmo de sair dos olhos. O alarme do seu som dispara tocando “Knocking on Heaven’s Door”, mas ele nem percebe. Conseguiu escrever três frases sem nexo em seu caderninho.

“…Mama, put my guns in the ground. I can’t shoot them anymore. That cold black cloud is comin’ down…”

* texto publicado originalmente no blog antigo no dia 02/03/09 *

dica da semana – livros

26 de abril de 2010

Tenho lido bastante coisa, coisas bem diferentes, mas que valem a pena ser lidas. “Desligue a Tv e leia um livro”. Vou só citar aqui os livros que estou lendo. Se valer a pena pra vocês, leiam.

– Tristan – Cavaleiro de Arthur (Loreana Valentini) – Conta já conhecida lenda de Tristan e Iseult (Tristão e Isolda) e eu como um fanatico pela ‘estória’ inglesa medieval não poderia deixar de ler. Merece a leitura. Apesar de ser um pouco triste do inicio ao fim.

Frenesi Polissilabico (Nick Hornby) – Nem vale a pena falar de Hornby, seus livros são sensacionais. Esse aqui não é um romance e sim uma compilação de colunas que ele escreveu pra uma revista. Mas esse autor merece ser lido (Como ser legal – Um grande garoto – Alta Fidelidade – Febre de Bola)…Um longa queda não achei tão bom…

Like a Rolling Stone (Greil Marcus) – Música, política e história juntos. Sou fanatico por isso. Escrever um livro sobre uma musica e tudo que aconteceu ao seu redor é algo especial. Bob Dylan merece ser ouvido e esse livro merece ser lido. Muito bom mesmo.

A Senhora do Jogo (Sidney Sheldon por Tilly Bagshawe) – confesso que transformar um autor em marca não me agrada muito. Mas depois de uma seleção muito bem feita, a autora escolhida pra ser a nova SS merece aplausos. Não sei, mas acredito que esse livro pode ser um marco pra uma nova era de exploração de “nome de escritores”.

Pra Ser Sincero (Humberto Gessinger) – comprado mais por eu ser um fã dos Engenheiros do Hawaii do que por interesse literário. Mas vale pra quem gosta, o próprio Gessinger conta a história da banda e sua também. Todo o cenario do Rock Gaúcho anos 80-90. Além de contar com 123 letras de músicas com pequenas explicações.

até a próxima, pessoal!

não sou eu, babe

25 de abril de 2010

Eu tava assistindo Johnny & June e prestei maior atenção a essa música. Diz muita coisa sobre mim, ou não. Sei lá. Descobri que a música é do Bob Dylan. Tem uma versão muito bonita no youtube da Joan Baez. Merece ser ouvida. Como eu sou chato e pretensioso acho que vocês não sabem nada de inglês vou botar a letra traduzida…o video tem legenda se quiserem cantar junto.

Não sou eu, Baby

Vá embora pela minha janela
Vá embora na velocidade que você quiser
Não sou quem você quer, baby
Não sou quem você precisa.
Você diz que está procurando por alguém
Que nunca seja fraco, mas sempre forte
Para proteger e defender você
Sempre que você esteja errada ou certa
Alguém para abrir toda e qualquer porta.

Mas não sou eu, baby
Não, não, não, não sou eu, baby
Não sou eu quem você está procurando.

Vá levemente pelos cantos, baby
Vá levemente pelo chão
Não sou quem você quer, baby
Eu sempre te farei mal.
Você diz que está procurando por alguém
Que prometa nunca te deixar
Alguém que feche seus olhos para você
Alguém que feche seu coração
Alguém que morra por você e mais.
Mas não sou eu, baby
Não, não, não, não sou eu, baby
Não sou eu quem você está procurando.

Você diz que está procurando por alguém
Para te conduzir toda vez que você cair
Para recolher flores constantemente
E para vir toda vez que você ligar
E vai te amar toda a vida
E nada mais.

%d blogueiros gostam disto: