Despedida da Sinuca

26 de julho de 2010

Depois que ele resolveu marcar a data do casamento, era hora de fazer a despedida do Bar. Certas coisas eu não entendo. Logo ele, que todos pensavam que seria o último a casar, seria o primeiro. Então tinhamos que organizar a “última partida de sinuca – em busca da tacada perfeita” .

Chamou os amigos mais próximos. Velhos companheiros de bebida e balada e farra e vômitos em banheiros sujos. As ‘primas’, profissionais do sexo ou mulheres fáceis mesmo que ele conhecia, que todos conheciam. E como.

O local foi aquele Bar que tem a cerveja mais gelada e as mulheres mais quentes. Além das mesas de sinuca mais alinhadas. E então, que comece a vida fácil.

Ele bebeu como nunca. Jogou como sempre. Se perdeu em ambas. Fumou baseados que foram preparados pelos carinhas da Zona Sul. Liberdade.

Já eram 5 da manhã quando ele se sentou na rua. Começou a chorar. Pegou o violão e resolveu cantar. Nunca tinha ouvido “Paint It Black’ soar tão black. Quebrou o violão em 4678 pedaços e logo já estava entrando no banheiro com duas damas.

Eu tentei imaginar o que ele estava sentindo. Nunca mais discutiria futebol, política, religião, capitais da Africa numa mesa com os amigos. Nunca mais daria um beijo sem compromisso numa roqueirinha qualquer. PAssar o fim de semana de bar em bar sem se preocupar em chegar em casa na Terça-feira, meio dia.

Agora teria que passar o dia no computador. Trocando fraldas por aí. Com a mesma mulher todas as noites. Numa cama gelada. Lavar louça e limpar banheiro. E de vez em quando ele olhará pra lua e lembrará de tudo. Sentindo saudades dos dias de alegria, das noites de boêmia e da busca pela tacada perfeita.

Charlie way of life…

17 de março de 2010

Charlie Harper, o personagem dae Charlie Sheen na série Two And a Half Man, é aquilo que 90% dos homens queriam ser. Se o seu namorado diz que não, é por medo de você. No fundo é verdade!

Mas será que realmente é a vida que procuramos?

O cara é músico, escreve jingles e mora numa mansão em Malibu. Bebe de tudo. Dirige um carro esporte fodastico e pega todas as mulheres possíveis e imagináveis.

Eu viveria bem assim.

Como pode um cara falar coisas do tipo: “Sentimentos são como os seios da sua mãe. Você sabe que eles existem, mas é melhor não tocá-los” ou “O Amor não é cego, é completamente retardado”

Vocês devem dizer que não existem pessoas assim, existem sim. Conheço muitos que são assim…sentimentos pra quê?

Deve ser legal viver assim por algum tempo. Pra sempre não, porque tem hora que precisa de alguém pra conversar, compartilhar e essas coisas assim…que o amor faz.

Vou agora ser um cara sensato e dizer que você tem que ser um meio-termo. Mezzo Charlie, mezzo Alan.

E eu também conheço muitos Alan Harper…mas isso é outro assunto!

Resumindo

Foda-se!

%d blogueiros gostam disto: