Enquanto tira a toalha de cima da cama, ela esbraveja toda sua raiva contra ele que apenas erge os olhos por sobre o ombro enquanto assiste a um seriado na TV. De relance ele sorri pensando na quantidade de louça na pia. Indiota. Ela sempre enfiava um n. Sempre que podia ou até quando não.

Estou gorda? Ela desfilava sua bunda perfeita num shortinho apertado, mas sempre indagava aquilo. Não, amor, nunca. Ele simplesmente respondia como um robô programado. Mal sabe ele que essa resposta tem que ser dada num conluio de olhares talvez seguido de um beijo na nuca que deixe arrepiados todos os poros da parte anterior da coxa.

Aquele relacionamento estava por um fio.

Então, ela me liga. Começa com um argumento falho. “Você que entende de relacionamentos me dá uma ajuda”. Como se eu realmente entendesse algo. Só escrevo besteiras que gosto.

Recitei alguns poemas de separação. Ela me contou tim-tim por tim-tim. Detalhes até meio desnecessários. Como os barulhos nojentos que ele fazia quando gozava. Eram tantas reclamações que dei um xeque. Ele tem algo de bom? Por que você ainda está com ele? O silêncio no outro lado do telefone foi constrangedor. Xeque-mate.

Com um “preciso desligar” arrastado. Quase soletrado. A conversa acabou. Horas depois, enquanto eu preparava meu almoço, ela tocou a campainha e aos prantos gritou em meu ouvido: ACABOU! E contou novamente toda sua história acrescentando os últimos capítulos inéditos pra mim. Esqueci o arroz no fogo. Cheiro de fumaça exalou pela sala. MAs ela era mais importante.

Posso passar o dia aqui. Até a vida inteira. Você é demais, sabia? Obrigado. Fiquei sem almoço e sem minha garrafa de vinho que comprara pra espantar o tédio do Domingo. Agora ela está ali deitada em minha cama. Seu sono desesperado de quem tirou um peso das costas. Ela sorri nos meus lençóis, abraçando meus travesseiros. Como um anjo. Mal sabe ela que o sofrimento só começou. A saudade dói. Mesmo aquela saudade dos defeitos. Dos problemas. Das brigas. Da injustiça.

Amanhã tudo vai estar rodando em seu mundo. E não será culpa do vinho.

Entre venenos e antidotos

11 de julho de 2010

– Lembre-se é do próprio veneno que se extrai o antidoto.

Foi isso que ouvi quando minha mãe entrou no meu quarto após ouvir meus soluços chorosos. E lhe perguntei e agora, mãe? E agora?

Pra que merda ela falou isso? Na hora eu nem liguei, só pensei. Não se pode conversar com mãe sobre essas coisas. Lágrimas só combinam com meu travesseiro. Quem sabe com um poema ou um texto em algum blog. Talvez uma bela canção. Aquela.

Quando ela repetiu a frase ontem na mesa do jantar pro meu irmão menor, enfim eu entendi.

Na verdade, não sei se era isso que ela queria dizer, mas foi o que entendi.

Se estamos sofrendo por algo. Aquele algo é que nos curará. Então, procurei na minha mente todos os defeitos dela. Tudo que odiava nela. Pra me sentir melhor.

Lembrei que ela odiava minha músicas. Meus textos. Meus poemas. Meus amigos. Futebol. Fanta Uva. O jeito como eu falava. Minhas bolinhas de papel. Minhas piadas sem graça. Odiava meu cabelo. Minha barba. O caminho que eu escolhia pra voltar pra casa. Minhas camisas de time. Odiava quando eu arrotava alto pra fazer vergonha. Quando eu gritava seu nome no pátio da escola. Quando eu mandava flores pro serviço. Quando eu pedia silêncio no cinema.

Resumindo. Ela me odiava.

Então estou melhor!

Valeu, mamãe!

A Velha Arte da Sedução

2 de maio de 2010

Certas pessoas querem fazer um manual de sedução. Agora pouco vir um texto dando dicas de como se dar bem na Arte da Sedução. É sempre engraçado ver esses ‘manuais’. Dicas de como se dar bem, como pegar mulheres. A gente até aprende um pouco, mas a maioria das vezes é só um texto de humor.

As 10 coisas que o cara cita são:

Circule – ou melhor, apareça…vá onde elas estão. Dica bem válida. Se ficar em casa não vai dar em nda.

Frequente sua praia – Ora bolas, de que adianta sair de casa pra ir onde você não se sente bem. Tem que sair pro lugar que tu sabe que se dá bem.

Até agora são só dicas óbvias. Que todo mundo sabe.

Coma pelas bordas – Já assistiram “Uma Mente Brilhante”. Aquela teoria de que todos irem pra cima da mais bonita e todos se anulam é fato. Por mais que ele seja um maluco, ele tem razão. As LINDAS são complicadas no começo…pra chegar nelas tem que estar muito bem consigo mesmo…E ser amigo é sempre bom, porque conhece mais gente.

Cuide bem do visual – Aí vem uma novidade. As mulheres notam primeiro os sapatos. Nunca soube disso, mas se é verdade sigo até bem essa regra. ehehehe… Mas tem que se manter de um jeito bacana. Depois de anos namorando se tende descuidar, mas o ideal é sempre estar se cuidando.

Fique por dentro – Conversa é a base de tudo. Busque se atualizar, saber do que o ‘alvo’ gosta. Tem que saber de tudo. Inteligência é a base da sedução. Não apenas fingir, tem que ser realmente.

Modere a língua/Saiba ouvir – O famoso ‘saber ouvir’. Gosto de mulheres que adoram falar, porque basta dar a isca que elas falam, falam, falam…e se manter a atenção elas se sentem privilegiadas…

Conte histórias – Meu amigo Forrest Gump seria um mestre da sedução, contar histórias é com ele mesmo. Vale até inventar algumas, desde que não possam ser usadas depois contra você. Regra básica. Mas ser um cara ‘vivido’ é bom…sempre.

Seja bem humorado – Aqui é o meu trunfo. Posso não ter nenhuma das caracteristicas acima citadas, mas num dia bom. Sou bem humorado. Sorrir sempre. Os pinguins de Madagascar já diziam: “Sorriam e acenem, sorriam e acenem”. Pronto. Mestres

Não Se Leve Muito A Sério – esse conselho é pra vida. Não deve ser levada muito a sério. Só não pode se depreciar demais, não vale a pena, fazer a mulher ter pena. Só uns sorrisos já são o bastante.

Não se esquece de elogiá-las – com sinceridade – A arte do elogio. Todo mundo gosta de ser elogiado. Nem sempre se pode ser Deus e logo, alguns elogios não são bem-vindos, mas não custa nada tentar, né?

Com isso tudo se tornarás um mestre da Sedução. Ato falho. Não adianta, ou se tem talento ou não. Não sou tão bom nisso, mas me esforço. Treino pode levar a uma melhora de rendimento. Então sigo treinando.

%d blogueiros gostam disto: