modelo

30 de julho de 2010

Sei, amor, que eu sempre reclamo quando você inventa de tirar fotos minhas enquanto dirijo. Não é que eu não goste de você ou de fotos, ou muito menos do meu perfil pela direita. Só não gosto de ser modelo. Pra nada. Nunca fui exemplo a ser seguido, nunca falo nada a ser lembrado por um pseudo-intelectual no twitter.

Não, amor, minha vida não é tão feliz como as fotos do meu álbum do orkut. Mas também não é tão triste quanto os textos do meu blog.

leitoras anônimas.

19 de julho de 2010

Certo dia eu conversava com um amigo “escritor”, dono de blog e eu falava sobre como queria mais pessoas lendo meu blog. Ele me alertou só pr um detalhe. Quando muitas pessoas leem e comentam. Você fica curioso pra saber quem são seus leitores. Esse é o problema. Não dá pra conhecer todo mundo.

Tenho umas leitoras assiduas que sei muito bem quem são. Algumas nunca comentam. Outras de vez em quando. Algumas me encontram na rua ou falam no twitter que leem.

Mas hoje uma leitora em especial me deixou encucado. “Dricolina” é o seu nome. Gostei dos seus comentários. Queria conhecê-la.

Meus/Minhas leitoras(es) são a razão desse blog e me incentivam a escrever cada vez mais. Um dia terminarei meu livro e sei que muitos me apoiarão. Quero deixar aqui o meu carinho especial a todos que leem e comentam.

Anônimos ou não.

Muito obrigado.

Gol Anulado

20 de julho de 2009

Gol anulado

João Bosco e Aldir Blanc

Quando você gritou mengo

no segundo gol do Zico

tirei sem pensar o cinto

e bati até cansar.

Três anos vivendo juntos

e eu sempre disse contente:

minha preta é uma rainha

porque não teme o batente,

se garante na cozinha

e ainda é Vasco doente.

Daquele gol até hoje

o meu rádio está desligado

como se irradiasse

o silêncio do amor terminado.

Eu aprendi que a alegria

de quem está apaixonado

é como a falsa euforia

de um gol anulado.

Se você gosta de futebol ou de coisas relacionadas a esse esporte acesse www.golanulado.wordpress.com

%d blogueiros gostam disto: