Olhares e Vodka

30 de março de 2010

Olhares e Vodka

(George Raposo)

Enquanto você prende a respiração
Tentando curar o soluço
Eu fujo pra outra dimensão
Pra te dar mais um susto

E nesse ritmo a gente caminha
Como se ouvisse música
São as coisas simples da vida
Um espirro, olhar e vodka

Deixa eu te beijar de novo
Pare de morder os lábios
As chances são assim
Rapidas como raios

Partem o seu coração
Depois emprestam cola
Não voltam nunca mais
Nem pra quem implora

De repente estou sozinho
Contando os pingos da chuva
Que movem esse moinho

De repente estou melhor
Tornando outro copo vazio
Que não me deixa ficar só

Enquanto você prende a respiração
Tentando me fazer olhar
Eu fujo pra outra direção
Pra não tentar voltar

E nesse ritmo a gente continua
Rodando sem ficar tonto
São as coisas simples da vida
Uma reta, curva e ponto

Deixa eu te beijar de novo
Sentir o gosto da sua boca
Os dias são assim
Sempre te deixam louca

Partem o seu coração
Depois o jogam fora
Não curam nunca mais
Nem quando demora

A Última Saída

25 de março de 2010

Caminhando a passos lentos na rua escura sem ao menos ter aonde ir, ele continua. Olhando apenas para os seus sapatos, mantém as mãos nos bolsos e masca o seu chiclete fazendo o máximo de barulho possível. Naquele silêncio ele percebe o quanto aquilo é realmente irritante. Disfarça um sorriso e continua do mesmo jeito.

Na sua cabeça, sangue e destruição. Dor. E mesmo assim não demonstra nenhuma emoção. Sabia que nada mais poderia ser feito e a coisa certa tinha acontecido. Já não tinha mais medo de nada. Talvez de alturas, mas essas poderiam ser evitadas.

Reconheceu aquele som, levantou a cabeça pra olhar. Era o mar. A última saída. Dessa vez sorriu de verdade, teve uma idéia. Agora sim, poderia apagar tudo, mesmo o que não queria que fosse apagado. Estava decidido. Talvez alguém nossa a partida, ou talvez passem três dias e nada.

Sentou no calçadão, perto das pedras. Recordações de como adorava sentar ali e ver a briga do reflexo da lua com o mar. O horizonte que sempre buscou… e então lembrou:

“A fúria cega que tivera, a faca rasgando a carne como churrasco. O sangue jorrando, os gritos se esvaindo aos poucos. Dor. Antes era um beijo, o gosto da boca, a língua áspera na sua. Ela era linda. Mas era. Não é mais. Lágrimas e chuva. Muita chuva.”

Era chegada a hora. Deixe o mar dissolver tudo. Apodrecer o peito, o corpo, tudo. Dor. Ou nem tanto. Tomar um banho, se jogar. Deixar o sol depois derreter tudo. Estava confuso, mas determinado. Era a última saída. Era. Tinha que ser. Por que nada restou? Cadê os sorrisos?

O chiclete não tinha mais gosto, mesmo assim não o jogava fora, assim era sua vida. Manter as coisas. Ficar com elas e não largá-las. Sabia o que deveria ser feito. Era a última saída.

Já estava quase afundando. Seria rápido. Quatro dias ou mais. Tudo estaria parado. Em paz. Dor. Engasgue-se logo, pensava. A última saída. Adeus. Deixe meu espírito passar.

*Conto inspirado na música Last Exit – Pearl Jam.

*Escrito por George Raposo

Relacionamentos – Arnaldo Jabor

24 de março de 2010

Hoje vou colocar um texto de Arnaldo Jabor que li em algum lugar. Acho que pode até ser que o texto nem seja dele, mas é legal!

RELACIONAMENTOS…

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida.
Detesto quando escuto aquela conversa:
– Ah,terminei o namoro…
– Nossa, estavam juntos há tanto tempo…
– Cinco anos… que pena… acabou…
– É… não deu certo…
Claro que deu!
Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos essa coisa completa.
Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível.
Tudo junto, não vamos encontrar.
Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona…
Acho que o beijo é importante… e se o beijo bate… se joga… se não bate… mais um Martini, por favor… e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não brigue, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar… ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob pressão?
O legal é alguém que está com você, só por você.
E vice-versa.
Não fique com alguém por pena.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração…
Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.
E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse…
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias..
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
E nem todo sexo bom é para descartar… Ou se apaixonar… Ou se culpar….
Enfim…. quem disse que ser adulto é fácil?

(Arnaldo Jabor)

O que te faz feliz?

23 de março de 2010

o que te faz feliz? Um bom livro acompanhado de um copo de chocolate, aquele filme que você esperava estrear e realmente era tudo que você esperava, uma vitória de virada sobre o maior rival com um a menos aos 48 do segundo tempo, um beijo apaixonado debaixo de chuva, uma comida quando a fome aperta?

o que realmente te faz feliz? Tocar aquela música no rádio e lembrar que era justamente o que você precisava ouvir, ou uma mensagem de amor chegando no seu celular quando você já está deitado e não consegue dormir? Um muito obrigado sincero de um amigo? O sorriso de alguém por você, pra você e com você?

o que poderia te fazer feliz? Um cesta no último segundo dando o título pra aquele time? o olhar de um cachorrinho? Um show da sua banda preferida? Rir com amigos, rir dos amigos, rir pros amigos? Chorar de felicidade e depois sorrir? Chorar de amor e ela te beijar? Chorar de saudade e alguém te ligar? Chorar de dor e depois anestesiar? Escrever um poema e ser elogiado?

o que te faz feliz? Beber uma cerveja bem gelada? Acertar aquela tacada que parecia impossível? Conseguir aquele straight flush no river? Ganhar um jogo perdido no Ps3? Comer pipoca no escuro do cinema? Descobrir alguém que torce pro mesmo time que você, que gosta da mesma banda, que tem a mesma mania? Receber um bilhete entregue pelo garçom? Receber um sorriso da menina de volta?

o que certamente te faz feliz? Acordar ao meio-dia e ter mil coisas legais pra fazer? Viajar pra conhecer e re-conhecer um milhão de lugares? O cheiro do mar e os pés na areia? O cheiro da chuva quando você pode sair? O poder de dirigir em alta velocidade? Ouvir sua mãe dizer que se orgulha de você? Ouvir alguém dizer que você está certo? Receber flores inesperadas ou surpreender com flores?

o que te faz feliz? Sacanear com os amigos? Contar todos os casos amorosos reais e imaginários? Arrotar mais alto, peidar mais fedorento? Sentir que alguém precisa de ti e você pode ajudar? Assistir ao Santos jogar futebol? Tirar 10 quando todos tiraram no máximo 9? Tirar 2 e não ligar?

O que te faz feliz? Michael Schumacher? Kobe Bryant? The Who? Foo Fighters? Pearl Jam? Roger Federer? Michael Phelps? Isinbayeva? Usain Bolt? Johnny Depp? Xuxa? Jim Carrey? Jennifer Connelly? Blake Lively? Kirsten Stewart? Shimbalaiê? E todo mundo que sabe o que faz e faz tão bem?

O que te faz feliz? Muitas coisas, coisa nenhuma…

Charlie way of life…

17 de março de 2010

Charlie Harper, o personagem dae Charlie Sheen na série Two And a Half Man, é aquilo que 90% dos homens queriam ser. Se o seu namorado diz que não, é por medo de você. No fundo é verdade!

Mas será que realmente é a vida que procuramos?

O cara é músico, escreve jingles e mora numa mansão em Malibu. Bebe de tudo. Dirige um carro esporte fodastico e pega todas as mulheres possíveis e imagináveis.

Eu viveria bem assim.

Como pode um cara falar coisas do tipo: “Sentimentos são como os seios da sua mãe. Você sabe que eles existem, mas é melhor não tocá-los” ou “O Amor não é cego, é completamente retardado”

Vocês devem dizer que não existem pessoas assim, existem sim. Conheço muitos que são assim…sentimentos pra quê?

Deve ser legal viver assim por algum tempo. Pra sempre não, porque tem hora que precisa de alguém pra conversar, compartilhar e essas coisas assim…que o amor faz.

Vou agora ser um cara sensato e dizer que você tem que ser um meio-termo. Mezzo Charlie, mezzo Alan.

E eu também conheço muitos Alan Harper…mas isso é outro assunto!

Resumindo

Foda-se!

11 de março de 2010

Acho muito massa fazer esses posts sem sentido. Sem saber o que escrever, só por fazer. E então, start your engines.

Pensei em falar sobre música, mas enche o saco. Futebol, idem. Ainda não tô tão bem pra falar de cinema. Cotidiano seria uma boa, mas quem liga. Poemas não tô a fim de escrever. Escrever sobre o nada, não tem nada a ver.

Ah! Já disse pra vocês que tô escrevendo um livro? Não? Em breve postarei algo aqui pra vocês verem…

Já sei. Vou falar sobre a reprodução dos Bettas.

diga a ela – nenhum de nós

6 de março de 2010

Nenhum de nós é uma banda muito subestimada. é simplesmente sensacional. Sou fã. E Essa música é muito boa tmb… fica a dica.!

%d blogueiros gostam disto: