Sorte de um amor tranquilo

16 de maio de 2012

Enquanto eu vibrava com os playoffs da NBA, ela lia um livro da Clarice. Degustava o seu iogurte de mel e se perguntava qual o caminho mais curto para chegar à Pet Shop da Zona Sul. Não há tanto romantismo assim no amor. A gente apenas consegue sentir a felicidade alcançar todos os nossos poros quando nossas mãos se encontram.

Deve ser um tipo de energético natural, uma catuaba carinhosa que de tão maldita nos faz ser um casal em plena forma. Agitando as sombras que nossos corpos criam na cortina a gente esquece livros, TVs e tudo mais.

Sempre prometo que trarei boas notícias quando voltar, e mesmo quando eu não volto no horário marcado, as boas notícias chegam mais rápido. Talvez seja o paradoxo do ditado que notícia ruim se espalha no ar. Você é sempre a primeira a saber que gritei eu te amo quando pulei do décimo oitavo andar.

O seu amor é meu paraquedas ou então aquele colchão inflável que os bombeiros colocaram no chão para me salvar. Não preciso de rede de proteção, nem de trapézio. O meu único circo são os truques que faço para roubar teu sorriso.

Com um céu de brigadeiro, a nossa paixão consegue cruzar as nuvens sem turbulência, nessas horas eu queria poder filmar tudo que acontece. Quem sabe a gente não cai num desses sites com fotos clandestinas. Queria ser celebridade com você. Aparecer nas capas dos jornais jurando mil flores mortas.

Nosso amor é um mar cheio de ondas que não derrubam o surfista, mas sim propiciam a ele as melhores manobras que jamais sonhou. Não chega ser um salto mortal, ou duplo twist carpado, mas ganha as melhores notas dos jurados.

Enquanto isso eu fico calado observando as bolas de três que os caras de verde não cansam de acertar e ela lê alguma coisa sobre amores dos anos 20. E a gente não entende muito bem onde tudo começou e nem onde vai parar. Só existe entre nós um sentimento de que essa cena se repetirá eternamente. Até que a morte nos separe.

Anúncios

2 Respostas to “Sorte de um amor tranquilo”

  1. G. Says:

    Realmente é muita sorte. Principalmente em uma socieda como diz Balzac , de corações secos e crânios vazios.

  2. Eliane Says:

    “O meu único circo são os truques que faço para roubar teu sorriso.”
    #gostiiiii 🙂


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: