eu digo o meu nome…

18 de maio de 2011

Eu teria prazer em me apresentar, mas meu nome não diz nada de quem sou. Eu sou um pouco mais simples, como o mapa genético de um peixe japonês recém-descoberto. Você pode até apertar a minha mão fitando meus olhos cansados, mas não terá tempo para ouvir minha história, minhas memórias fracas nem meus dias de sono.

Eu poderia me apaixonar rapidamente por sua voz de menina do interior, mesmo sabendo que foste criada na cidade grande, com grandes escadas e televisores dizendo como deveria se portar. Eu não me importo com a porta aberta no fim de tarde, você também talvez queira apenas um pouco de proteção. Se eu fosse chão você passaria o pano para me encerar, deixar brilhando e pronto pra mais um dia sujo?

Eu preciso de espaço, pra pensar, pra rodar no ritmo do meu silêncio, pra dizer que estou amando de novo. Preciso gastar minha caneta com outros romances. Sim, eu gasto o meu batom fumando apenas um cigarro, eu gastaria todos os poemas do mundo apenas para te conquistar.

Eu ouço samba nos dias de frio pra me acostumar ao gingado de sua cintura, morena. Despeço todos os nós que contratei ao longo dos anos para redigir a minha costura retilínea, mas eu não quero mais ficar na linha se isso resultar em ficar longe de você mais um segundo.

Eu digo o que penso e faço o que digo, mas nem sempre é sincero. Espero que você me perdoe por te amar assim de cara, carne crua e sem tempero. Como uma madrugada em Tóquio vertendo luzes em neon e pessoas quase iguais.

Eu, sinceramente, espero que você saiba que o medo faz parte do passeio de avião, não foi a primeira vez que toquei em sua mão, nem a segunda, muito menos a trigésima oitava. Mas foi quando percebi que já era totalmente seu. E fazer você ser minha era o que me afligia. Traga a frigideira que eu faço as batatas-fritas que você tanto deseja. Sim, me beija e a gente pode voar.

Eu tomei outra dose pra homenagear o segredo que acabo de revelar. Você fingia me escutar, mesmo eu sabendo que tinha ligado para o número errado. Obrigado por tentar me entender. Mas eu não sou nem um milésimo do que você possa conhecer, mas eu digo meu nome pra você: Eu te amo!

Anúncios

4 Respostas to “eu digo o meu nome…”

  1. Eliane Fernandes Says:

    🙂
    Adorei, como sempre…
    Aiiii, tô ficando repetitiva demais.
    Vou deixar meus comentários anônimos, vc não precisa saber meu nome mesmo.
    Beijo, querido G.!

  2. George GD Says:

    Não comenta como anonimo não, Li. Gosto quando é você…

    E Jéssica, até que fim reapareceu….tá devendo texto.

  3. ap Says:

    Apaixonante. Muito, muito.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: