Entre o sono e o sonho

13 de maio de 2011

Você acorda e me conta o seu sonho exatamente como aconteceu. Um avião, vários balões de ar e um beijo apaixonado no final. Sempre fico com inveja e exposto por não lembrar meus sonhos. Não saber detalhes, não distribuir a felicidade antes do café da manhã. Várias vezes sou compelido a inventar alguma história boba só pra você sorrir.

E retruca zangada que eu não sei o que é sonhar. Talvez eu não saiba. Mas posso dizer o que são sonhos pra mim.

Sonhos são seus olhos tirando minha roupa. São meus inimigos beijando sua boca. Sonhos sao segredos que não posso relevar. São todas coisas que não vou lembrar. Sonhos são os dias de frio em Salvador ou as armaduras de ouro dos Cavaleiros de Prata. São caça-palavras no meio da busca pela fonte da juventude. São livros de auto-ajuda. Dicionario de rimas. Sonhos sao suas lagrimas e o gosto de você. São os meus problemas e nunca esquecer.

Por isso eu acordo tarde outra vez, sem compreender o se ou o talvez. Enquanto todos dormem eu fico insone. Com um bom livro ou com a TV. Vez em quando adormeço pensando em você. Então, sempre que você morre eu grito seu nome. Acordo suado, assustado e com vontade de comer sushi.

Sonhos sao poemas que nao rimam mais com nada. São placas de abismo na beira da estrada. São diários que ninguém quer escrever, a minha letra feia desenhando você. Sonhos são água gelada impedindo um beijo apaixonado. São centenas de cartas que eu não mandei. São desejos guardados em cofres blindados. São mil léguas submarinas em um aquário pequeno. São as meninas que não dizem não. São as músicas que brincam com a solidão.

Por isso eu acordo tarde novamente. Procurando o que passou em minha mente. Enquanto todos dormem eu ouço uma canção. Sempre quando chove, eu me perco no meu coração.

Sonhos sao guitarras que soam distorcidas. São bandeiras do seu time no meio da torcida. Sonhos sao meninas que ficaram na lembrança. São velhas brincadeiras de criança. São cadeiras de balanço na sala de estar. São redes vazias na varanda. Sonhos são silêncios constrangedores. São as dores que você finge não ter. São palavras que foram apagadas. São dilemas que você não irá resolver. São as perguntas dificeis da prova de Física. São drogas pesadas demais pra nós…
Sonhos são só sonhos se você não está lá.

Anúncios

3 Respostas to “Entre o sono e o sonho”

  1. Eu Says:

    Muito, muito bom! Adorei o texto!

  2. ap Says:

    Merece um “like” mas não posso clicar… 🙂

  3. Eliane Fernandes Says:

    Sonhos sao segredos que não posso relevar. São todas coisas que não vou lembrar. Sonhos são os dias de frio em Salvador ou as armaduras de ouro dos Cavaleiros de Prata. São caça-palavras no meio da busca pela fonte da juventude. São livros de auto-ajuda. Dicionario de rimas. Sonhos sao suas lagrimas e o gosto de você. São os meus problemas e nunca esquecer.
    ADOREI ISSO! Tão bom qdo alguém traduz o que vc sente…
    Bj. Li


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: