Cartão Postal

26 de novembro de 2010

Ah! Amor, porque teve que ser desse jeito assim? Porque teve que colocar um ponto final onde uma vírgula cairia bem melhor. Eu sei que pontuação nunca foi o seu forte, nem gramática, nem coisa alguma a não ser me fazer feliz. Eu me sentia tão bem com você, não entendo o que Setembro tem contra mim. Sempre parece pronto a me sabotar. O número sete sempre foi meu número do azar. Não mais.

Às vezes me pergunto onde deu errado, se você me ouvisse certamente viria com um sem número de explicações, com gráficos e planilhas de rendimento. Toda uma operação para colocar motivos pro fim.

Ontem fiz supermercado com a minha nova namorada, e lembrei daquele dia em que você apareceu de surpresa e pulou no carrinho e se acabou na curva em cima da pilha de papéis higiênicos. Foi a primeira vez que fui expulso de alguma coisa. Você me dava essa opção, as aventuras que minha personalidade medrosa nunca tentou. Você era essa parte de mim.

A nova garota, ainda não consigo me acostumar a ela, os meus amigos me apóiam e dizem que ela é a mulher certa. Mas eu gostava do seu jeito de dizer palavrões e não se importar muito com nada. Ela sempre reza antes de dormir, e fala da Bíblia na hora do almoço.

Ela meio que trabalha com arte, mas eu queria alguém que distinguisse Creed de Pearl Jam. Mas todos dizem que ela é perfeita, sem defeitos, eu gostava do seu jeito errado de ser. Ela é sempre modelo, sempre arrumada, sempre sorrindo, sempre posando pra fotos que não foram tiradas. Você era linda no fim de tarde com seu moletom rasgado e sem maquiagem. Perfeita.

Eu não sei o que fazer. Ela gosta de mim e de certo modo gosto dela, mas ela não é você. Sei que você insiste pra que eu encontre alguém que preciso de companhia, que não sei viver sozinho.Mas eu gostava mesmo de quando você acordava com minha camisa do Ramones e aquela calcinha preta, confortavel…

Não estou pedindo pra você voltar, na verdade, eu nem quero que você volte. Esta é apenas uma carta de boas festas, afinal o Natal está chegando. Mande-me um cartão postal daí da Islândia. Eu nunca moraria na Islândia, deve ser impossível tomar sorvete por aí.

ps. Devo me casar no fim do ano!

 

Anúncios

Uma resposta to “Cartão Postal”

  1. Jéssica Says:

    FUEEEEEEEEEN =~


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: