O amor morreu.

4 de novembro de 2010

Sem vergonha alguma cantarolava Pitty pelos corredores do hotel. Te vejo errando, isso não é pecado. Que bonito. No papel, tudo é mais fácil. Mas isso é vida real! E aqui existem tragédias, brigas, dor e falsidade. Não adianta desenhar famílias com um céu ensolarado que não é desse jeito, baby. Não acredito mais no amor, ele conta muita mentira.

Decidido, desisti de tudo. Dos castelos de areia nas manhãs de domingo, você passando protetor solar nos nossos filhos e depois tomando água de coco e picolé de limão. Essa cena ficará pra um quadro qualquer na parede da sala do meu escritório. Dedicar-me-ei a ganhar dinheiro. Comprei novos ternos, gravatas com cores pálidas combinando com os lenços no bolso.Venderei a minha alma por alguns trocados, ganharei com a desgraça alheia como todo bom advogado.

Enquanto você pinta quadros surrealistas contando o futuro que sonhava em ter, eu estarei atrás da mesa fumando um charuto cubano com ar de mafioso italiano. Não importa se eu não sou o que você quer. Não importa mais nada. Agora vou pentear o meu cabelo todos os dias, fazer a barba pela manhã antes de escovar os dentes. Quem sabe correr 8 quilometros.

Perder-me-ei entre as pernas de uma profissional diferente todo santo dia. Usarei mesoclises erradas só pra fingir ser culto. Lerei poemas no jantar e recitarei em frente ao espelho antes de dormir, afinal temos que manter alguma sensibilidade. Hay que endurecer sin perder la ternura.

Se a sociedade não quer mais saber do amor, se o amor não quer mais saber de mim, então não ligarei mais pro social e nem pro amor. Darei as costas pro mundo e viverei no meu mundo ideal possível, contraditório como sempre. Quem sabe pescarei nos fins de semana com algum sócio careca e barrigudo que tem 8 filhos e foge da mulher.

Guardarei todas as cartas que você me mandou num baú no porão, aqueles bichinhos de pelúcia que eu dormia abraçado mesmo tendo alergia só pra sentir você por perto serão cremados, mas com um cerimônia solitária adequada. Afinal, eu não sou nenhum monstro. Lerei alguma passagem da bíblia e Rest in Peace.

Alguém sugeriu que o coração apenas bombeasse sangue e deixasse dessa mania de querer se meter em assuntos que não lhe interessam. Concordo! A partir de hoje cada órgão fará apenas o que lhe foi designado, não haverá uma interação harmonica, coisa nenhuma.

O amor é artigo de luxo, mas eu sou pobre de espírito, então ficarei com meus pés no chão apenas observando ele passar de mãos dadas com casais na tenra ilusão de que tudo dará certo, mas no final é sempre o mocinho sem a mocinha ou vice-versa. Haverá lágrimas, mágoas e quem sabe sangue. Eu estarei lá assistindo na primeira fila com um saco de pipoca e um copo grande de Coca-Cola. E o meu melhor sorriso distribuindo meu cartão…Afinal, alguém tem que lucrar com isso, não é?

 

Anúncios

2 Respostas to “O amor morreu.”

  1. Jéssica Says:

    Mesóclises. :]

  2. Rayanne Says:

    Oi (:
    Usei parte desse seu texto no meu blog [/ http://welovee.blogspot.com ], dei os créditos como devem ser dados. Adoro seus textos, são lindos e bastante emocionante.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: