Eu te esqueci

7 de setembro de 2010

Quando o beija-flor não gostar mais de flor, eu te esqueci.
Quando decifrarem o sorriso da Monalisa, eu te esqueci.
Quando Chico não fizer mais sentido, eu te esqueci.
No dia que não houver mais brisa, eu te esqueci.

Eu te esqueci.
Quando não houver mais dinheiro, valor ou ambição
Quando não houver mais um casal sorridente na praia
Quando seu nome não me trouxer paz, eu te esqueci.
Quando sua boca repetir o meu nome, eu te esqueci

Quando não sentir o seu perfume no meu quarto às quartas
Quando a lua não influenciar marés, lobos e cabelos.
Quando os dinossauros voltarem a vida
Aí sim, eu te esqueci.

No dia que a noite não vier, eu te esqueci.
Na noite que o dia não acabar, eu te esqueci.
Quando não puder respirar, eu te esqueci.

Quando o mar tiver cheiro de óculos escuros
Quando o escuro não meter mais medo
Quando um segredo for bem guardado
Eu te esqueci

Quando os poemas não emocionarem mais
Quando aves deixarem de ter penas
Quando problemas forem mais simples
Eu te esqueci

Eu te esqueci se você assim pensar
Se você assim quiser
Se você evaporar, eu te esqueci.

Eu te esqueci tantas vezes que não consigo mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: