Corações Infláveis

24 de maio de 2010

Era um mundo onde as pessoas carregam seu coração como se fossem balões flutuando sobre a cabeça. Todos podiam ver as várias cicatrizes que possuíam. Logo, a humanidade passou a esconder seus corações, mas continuavam ligados a ele com uma espécie de cordão umbilical.

Era um mundo mais sensível. Já que as mágoas estavam expostas pra todos. Mesmo assim, era quase impossível se encontrar um coração ‘liso’ sem marca alguma. Ela se orgulhava disso. Tinha o seu coração intacto. 0 km. Fazia questão de deixá-lo a mostra. Flutuando alegremente por aí.

Um dia, pra fazer um trabalho da faculdade, ela teve que ir visitar um asilo. Lá encontrou uma senhora. Não conseguia disfarçar o olhar para aquele coração tão cheio de cicatrizes que não se via uma parte lisa. Sabe quando estamos diante de uma pessoa deficiente? Assim ela se sentia. E começou a ter vergonha de seu próprio coração.

– Pode olhar, criança. Não tenho por que esconder todas as decepções que tive na vida. Amei demais a todos, fui amada de volta. Só que a humanidade é ingrata. E os homens logo se entediam. Mas as piores marcas são daqueles que demos tudo sem pedir nada. E me deixam aqui sozinha. Sem poder abraçar meus netos, sem poder olhar o sorriso deles.

– Triste. Eu não quero meu coração marcado.

– Não tem jeito, meu bem. Um dia alguém o roubará de você. E então o controle remoto não será mais seu. Nunca mais.

Nisso entra na sala, uma outra senhora. E a jovem então busca o olhar ao coração, tentando ver se seria cheio de marcas também. E incrivelmente, era liso. Igual ao seu.

– Essa é a Genoveva. Nunca entregou seu coração a ninguém. Hoje não tem passado a ser recordado, nenhuma boa história pra contar. Ninguém pra visitá-la nem de vez em quando. E é uma péssima jogadora de buraco. Então garota, pra quê mantê-lo assim?

* Sim, eu exibo meu coração com todas as marcas que acumulei com o tempo. Sem vergonha alguma *

Anúncios

4 Respostas to “Corações Infláveis”

  1. Manuela Says:

    GD tu te superou nesse texto.
    Sinceramente, esse é o melhor dos que eu já li aqui.
    Fala sobre o que a gente tenta esconder, aquela velha história de não deixar se envolver, tudo colocado de uma forma espetacular.
    Excelente! =)


  2. Sou uma boba mesmo, mas tô segurando uma lagriminha marota aqui, ó… 😥

    Ótimo texto! Vou tirar um dia depois das provas pra fazer uma maratona aqui no blog! 😀 😀

    Tomara que você não enjoe dos meus comentários infantis, haha.

  3. Jéssica Says:

    E de novo… 😥

  4. antitética Says:

    E de novo!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: